Projeto transforma estudantes em cineastas,

atores, atrizes, produtores, roteiristas e prepara para um novo futuro:
É o projeto sócio-ambiental de incentivo à cultura e arte da Solvay-Indupa

Onze estudantes do ensino funda-mental, de Santo André (Paranapiacaba) e Rio Grande da Serra, no ABC paulista, já podem sonhar com um futuro promissor no cinema. O grupo venceu um concurso de redação e os textos foram transfor-mados em 6 curtas-metragens. A pré-estréia aconteceu no último dia 14 de dezembro, no Teatro Manacá, em Rio Grande da Serra, em sessão exclusiva para convidados.

A ação fez parte do 4º Curta Química e Natureza, projeto socio-ambiental realizado pela Solvay Indupa do Brasil, em parceria com o Estúdio Brasileiro, Dire-torias de Ensino da Região Mauá e de Santo André, com a produção da Família Brasil Filmes.
A 4ª Edição do projeto Curta Química e Natureza 2009/2010, envolveu na primeira etapa, que ocorreu em 2009, quase 900 alunos de 11 escolas da rede estadual, situa-das no entorno da Solvay, nos dois municípios. Com idade entre 14 e 15 anos, os estudantes foram convidados a escrever redações com o tema “Área de mananciais e sustentabilidade”. No texto, a regra foi o estudante explorar os aspectos naturais e sociais do local onde mora: Rio Grande da Serra e Paranapiacaba, sub-distrito de Santo André e discutir com o tema sustentabilidade tem sido tratado.

Novos cineastas, podem seguir carreira, se quiserem e quem sabe fazer sucesso.

Pré-selecionadas por uma comissão de professores e depois por uma banca de juízes, formada por educadores, biólogo, roteirista e outros profis-sionais, as 11 redações, uma de cada escola, foram agrupadas e transformadas em 6 curtas-metragens, com média de 5 minutos de duração. Os estudantes desenvolveram, durante a segunda fase do projeto em 2010, todas as etapas de produção dos filmes, desde a roteirização, captação de imagens, edição até a finalização do material.
Para isso, antes da produção os alunos participaram do Work-shop, no qual aprenderam as noções fundamentais para manuseio dos equi-pamentos, construção de roteiro, captação de imagem, seleção e edição, além de discutir o principal tema: educação ambiental.

Confira os filmes:

O planeta em nossas mãos   – Jéssica Marques da Silva (Escola: Lacerda Franco)

Natureza Informa   Jakellyne Pereira (Escola Francisco Lourenço de Melo) e Tatiane Gomes (Escola: Sebastião Vayego)

Lembranças  – Marilaine Santos (Escola: Alziro Barbosa) e Bruna Souza (Escola: Antônio Lucas)

Depois, pode ser tarde – Karem Cristina Souza  (Escola: Cassiano Ricardo) e Luiz Antônio Dias (Escola: Shisuko Yoshida)

O sonho de um mundo melhor   – Nerisvan Souza (Escola: Giuseppe Pisoni) e Paloma Cristina Soares (Escola: Edmundo Luiz)

Pequenos multiplicadores   Raywni Souza Bédia (Escola: Guariento) e Karoline dos Santos (aluna convidada)

O objetivo da Solvay nesse projeto é envolver a comunidade escolar em um processo de identif-icação dos principais problemas que afetam a qualidade de vida de quem mora nesta região – o desrespeito pelo meio ambiente – e elaborar um plano de atividades, e com isso trabalhar os conceitos de desenvol-vimento sustentável e de cidadania.

“Buscamos promover a inclusão social e cultural do estudante, com estímulos ao respeito sobre bio-diversidade para que evitem o desperdício e o esgotamento dos recursos naturais”, afirma Lisandre de Assis, coorde-nadora de Comunicação, da Solvay Indupa.

“Conheci um universo que eu não conhecia. Mexer com câmeras, criar filmes, e nossas idéias se juntaram de uma forma bem legal. Ficávamos pensando como seria nossas redações num Curta Metragem.”. contam Marilaine e Bruna, responsáveis pelo filme “Lembranças”, a dupla ainda ressaltou a impor-tância dos workshops, pois perderam os “medos” de utilizar os equipamentos, como câmeras, edição etc…

Para Fátima Regina, da Diretoria de Ensino de Mauá, a importância da produção textual, através de redações, foi o grande atrativo para a área de Educação, que apóia o projeto:

“Percebemos uma evolução na abordagem do “Meio Ambiente”, da primeira edição até agora, a quarta, e é um projeto que pode expandir muito. Se for apresentado às outras diretorias de ensino, tenho certeza que apoiarão.”

Outro ponto interessante, segundo Gisele Nanini Matias, também da Diretoria de Ensino de Mauá é o vivenciamento que o estudante tem com a realidade profissional: “Eles vivenciam uma situação profissional, o contato com pessoas mais velhas, as respon-sabilidades, o desafio, o aprendizado, saber rever suas decisões, saber ouvir, receber críticas, enfim, tudo isso contribui para sua formação pes-soal, e essa experiência ele carregará para toda vida.”

Ganhador da edição do Projeto Curta Quimica e Natureza 2006, Diego Veríssimo Mendes, de 18 anos, já trabalha na área e conta como foi a oportu-nidade depois de vencer o concurso: “O Projeto me trouxe a oportunidade de conhecer os bastidores de uma filmagem, de produção de filmes, e vi que era isso que eu queria fazer mesmo. Depois disso, busquei minha oportunidade, fui insistente, fui atrás, ligava direto para saber sobre a nova edição do projeto, ligava para acompanhar, e então viram que eu tinha muito interesse.

Acabei fazendo por conta própria uma nova edição do mesmo filme apresentado, gostaram e me convidaram para participar das novas edições.”, conta Diego.

O ‘Curta Química e Natureza’ nasceu do Projeto Química e Natureza, uma das ações sociais desenvolvidas pela Solvay Indupa, criada em 1997. Quase 32 mil estudantes do ensino fundamental e médio já passaram pelo projeto.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: