Rio Grande da Serra recebe a primeira rede de gás encanado na região central

Canos plásticos de alta resistência formam a rede de gás

Residências poderão vir a ter abastecimento de gás natural, se houver demanda

Quem andou pela cidade de Rio Grande da Serra, durante as últimas semanas, percebeu uma obra que percorreu a principal via do centro, a avenida Dom Pedro.

A obra, da empresa fornecedora de gás, a COMGAS, ligou um dos ramais de fornecimento de gás natural para a Indústria Massa Leve, que deverá aposentar a pratica de queima de lenha, melhorando assim o desempenho no fabrico de seus produtos.

A Tribuna da Serra entrou em contato com a fornecedora COMGAS, para saber sobre o processo de implantação bem como os riscos deste sistema para a população e também que benefício a cidade poderá aproveitar com a chegada deste sistema de fornecimento, tão comum em cidades como São Paulo.
De acordo com Fernando Gomes – gerente responsável pela obra em Rio Grande da Serra, a população poderá ficar tranquila em relação à segurança do sistema pois a tubulação colocada é segura, feita de plástico resistente, bem diferente da rede de gás existente no Rio de Janeiro, onde vem ocorrendo explosões das tampas de bueiros: “No Rio de Janeiro, a rede de gás é do século passado, 1920 ou 1930, e são feitas de ferro. Muito antigo.”, explica.

Com colocação subterrânea, empresa diz que risco de vazamento é praticamente zero

Para evitar danos no sistema de gás, provocado por eventual escavação de alguma obra que possa ocorrer na cidade, em vias públicas, será implantado marcações com discos de plásticos de 15 cm a cada vinte metros, como aviso e ainda marcos de concreto.

Ainda sobre a segurança, Fernando explica que o gás não é toxico: “E também caso aconteça algum vazamento, caso raro, pois em geral só acontece por intervenção de terceiros, em caso de obra que venha danificar o tubo, o gás é altamente volátil e seguirá subindo à atmosfera. É diferente do GLP, de botijão, que é um gás mais pesado e desce, infiltrando no solo e preenchendo o ambiente das residencias. O gás natural, de nosso sistema, é extremamente seguro, não causa dano.”

De acordo com a empresa, há uma tendencia muito forte do gás natural ser uma das principais fontes de energia do Brasil, visto que hoje a oferta deste combustível é enorme, e perguntado sobre a expansão do fornecimento à população de Rio Grande da Serra, o gerente responde: “Esse primeiro passo, da chegada da rede à Rio Grande da Serra, foi motivado pelo pedido da Massa Leve, portanto a industria normalmente é a âncora para, em uma segunda etapa, enviarmos uma equipe de campo que verificará a demanda existente na cidade e assim constatar a viabilidade do fornecimento de gás encanado para residencias de Rio Grande da Serra. É uma questão de tempo.”, conclui Fernando.

CRESCIMENTO DA INDÚSTRIA AJUDOU

A Indústria Massa Leve, que produz diversos tipos de massas frescas, como macarrão, capeletti, raviolli entre tantos, além de massas para panquecas, pasteis, folhadas e outros, encontra-se em fase de expansão, sendo a responsável pela chegada do gás natural encanado, trazendo um possível avanço para as residências no futuro próximo. Tranquilo e otimista, Rubens Antônio Ceragioli, Diretor Industrial fala sobre a conquista da empresa e o compromisso com o meio ambiente: “O Gás natural entra no processo produtivo da Massa Leve e substitui totalmente a queima de lenha num prazo de 6 a 8 meses . É um combustível mais adequado à politica de preservação do meio ambiente da empresa e permitirá a expansão da Massa Leve em produtos forneáveis. Nesta linha, a Massa Leve lança no mercado a partir de Janeiro do próximo ano a sua “Pizza Congelada”, assada no forno de lastro de pedra vulcânica, completando o portfólio de produtos congelados , que disputa espaço no mercado Brasileiro com as principais marcas desse segmento. O Gás Natural, além de limpo e muito mais seguro que o GLP, oferece vantagens de custos e competitividade devido ao aumento da oferta desse combustível pelas importantes reservas disponíveis no país.”

One Response to Rio Grande da Serra recebe a primeira rede de gás encanado na região central

  1. Soares disse:

    Peninha existe uma lei municipal de cobrança do uso do solo,a Comgas tem isenção?Quebra a rua toda instala a tubulação e não paga nada por isso? Atende a demanda da iniciativa iniciativa privada? e a população paga os custos?Se cobra taxa ,para onde vai o dinheiro?Em caso de desastre ou danos as vias públicas ,quem é o responsável?Prefeito bonzinho não?O municipe paga IPTU pelo uso do solo e as concessionárias(Sabesp,Aes Eletropaulo,telefonica e agora a Comgas,não,pagam tributos e não geram empregos na cidade)Seria de bom tamanho perguntar,se é que não ofende o Amarelinho da Terra do Nunca!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: