Pq. do Governador: Sem manutenção de ruas há muito tempo e quem sofre são os moradores

Na última edição, mostramos o estado de esquecimento que se encontra a Vila Conde Siciliano, em Rio Grande da Serra. Onde moradores convivem com mato e esgoto em diversas ruas do bairro e ainda são obrigados a tolerar a presença de ratos e insetos diversos. Mas o impressionante foi constatarmos que a falta de higiene e sujeira partia da própria Vigilância Sanitária, localizada no mesmo bairro, onde era possível ver em seu terreno um verdadeiro lixão.
Partimos então para saber a situação de outro bairro.

Aproveitamos o pedido dos moradores do Parque do Governador, bairro próximo à divisa de Ribeirão Pires, cujo o sr. Agnaldo Costa, aposentado, morador há mais de 20 anos no bairro que diz ter cerca de 200 famílias residentes.

Caminhando, acompanhado por Agnaldo, apresentando as ruas do Parque do Governador, percebemos a precariedade de conservação das vias públicas. Ruas esburacadas, com pedras soltas, e também esgoto a céu aberto em algumas vias. Também havia locais onde as ruas se estreitam, devido ao excesso de mato e também alguns possíveis crimes ambientais, causados por moradores e também, de acordo com vizinhos, pela Prefeitura: “A prefeitura já descarregou muitos entulhos nas ruas aqui. Isso gerou inclusive intervenção do Ministério Público. Mas o andamento do processo, se é que foi aberto algum, não sabemos.”, explica.

De acordo com Agnaldo, em dias de chuva a situação se agrava bastante: “Quando chove nenhum carro consegue subir, principalmente ambulância. Um caso desse foi o do meu vizinho, que sem poder ser socorrido a tempo, morreu em meus braços. Era dia de chuva.”, lamenta o morador, que diz que há tempos vem solicitando para que a prefeitura arrume a entrada do bairro: “Já pedi várias vezes, mas nada acontece.”, e continua, “Aqui na Rua Jorge Tibiriçá faz 8 anos que ninguém arruma nada. Desde que o prefeito assumiu, esqueceu o Parque do Governador.”

Para ¨Mineiro”, morador da Rua Peixoto Gomide, os problemas do bairro representaram uma decepção. Em frente sua residência, o esgoto corre à céu aberto: “Quando vim para cá, fiquei entusiasmado. Mas quando deparei com o esgoto “in natura” caindo no braço da represa, fiquei triste. Pedi ajuda à um Deputado, que veio com assessores que providenciaram o conserto da caixa por onde deve passar os dejetos, mas pelo que soube, na parte da Vila São joão o esgoto continua escorrendo.”, conta “Mineiro”, que ainda mantém sua residência em obras e alerta: “Se chover, tenho que parar toda a construção, pois nenhum caminhão consegue chegar aqui, com essas estradas ruins.”

SECRETÁRIO DE OBRAS PROMETEU E NÃO CUMPRIU

Alguns dos moradores que estiveram em uma reunião com o Secretário de Obras, Gabriel Maranhão, disseram que além de surpresos com a visita, o Secretário prometeu arrumar a subida do bairro, uma das entradas do bairro, pela rodovia SP-122, ao lado de um Motel, mas não cumpriu a promessa. “Ele veio, prometeu fazer a subida, que está horrível para entrar no bairro, em um prazo de 15 dias, lá se vai quase 2 meses e nada. Não cumpriu.”, e completa, “Sabemos que estão aproveitando a época de eleição, para aparecerem, mas nos sentimos enganados, porque são quatro anos de dificuldades e querem fazer um dia de benefício para a gente esquecer tudo que passamos.”, revolta-se Pereira, que trabalha de pedreiro e ainda, junto com outros moradores, se esforçam para manter o mínimo de condição possível para os carros andarem pela rua: “A gente cuida da rua com entulho. O pessoal da Prefeitura disse que não podemos jogar entulhos aqui. Por que não podemos? A prefeitura mesmo joga caminhões entulhos nas ruas da cidade.”, pegunta indignado.

DIVERSOS PROBLEMAS E O TRABALHO DOS MORADORES

Além das ruas esburacadas no bairro, é visível o mato alto que avança sobre as vias, também há focos de crimes ambientais, que acontecem, de acordo com as informações, por causa da ausência total de fiscalização. Outro problema é a entrada do bairro, são duas ruas, ladeiras. Uma vem sofrente forte erosão devido as chuvas, e toda terra carregada pela água vai na direção da rodovia, chegando a atravessar a estrada.

Nesta, da Rua Bernardino de Campos, é fácil perceber que a via está cerca de meio metro abaixo de seu nível inicial. E na parte que se encontra com a rodovia, a calha de escoamento de água não cumpre sua função, no trecho da estrada, pois a terra vinda da descida a tampou. A água não escoando, coloca também em risco o motorista, que utiliza a rodovia, pelo risco aquaplanagem.

CENTRO EM ORDEM, BAIRROS COMPLICADOS

Curiosamente, as ruas do centro são mantidas com manutenção permanente. Onde se vê mato avançando pelas ruas do bairros, já nas calçadas da região central, estação, trevo e na principal avenida da Santa Tereza, é possível ver funcionários da prefeitura agachados, retirando até pequeninos tufos de mato, que crescem nas fissuras das calçadas.

Coincidência ou não, os trechos bem cuidados, com até pintura de guias, lixeiras, jardineiros e roçadores trabalhando, são trajetos obrigatórios feito pelo prefeito, de sua casa no Oásis Paulista até o gabinete, próximo à estação de trem.

One Response to Pq. do Governador: Sem manutenção de ruas há muito tempo e quem sofre são os moradores

  1. […] 3) PARQUE DO GOVERNADOR http://atribunadaserra.wordpress.com/2011/11/11/pq-do-governador-sem-manutencao-de-ruas-ha-muito-tem… […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: