Quase um ano depois SP-122 segue desmoronada.

Quase um ano depois de sofrer um perigoso desmoronamento, próximo à entrada da Avenida Prefeito Cido Franco, em Rio Grande da Serra, a Rodovia Antônio Adib Chammas, SP-122, continua sem acostamento, proteções e poste de iluminação no trecho junto à ponte sobre o Rio Grande, no km39.

O incidente, na época, causado por um rompimento de um duto de esgoto, do sistema de bombeamento à estação de tratamento da SABESP, derrubou cerca de cinquenta metros de acostamento e “engoliu” dois postes de iluminação, deixando o trecho bastante inseguro, com a contínua chuva da época, em janeiro passado.

Com a proximidade do verão e, consequentemente o aumento das chuvas, se não houver a conclusão do reparo da rodovia, motoristas que utilizam a estrada diariamente temem pelo pior.

Entramos em contato com o Departamento de Estradas de Rodagem – DER – para saber a razão da não conclusão da obra e qual a previsão para retomarem e concluírem o trecho.

Em resposta, o Departamento de Estradas de Rodagem informou que há projeto executivo concluído para recuperação de erosão no km 39 da SP- 122 (Rodovia Deputado Antonio Adib Chammas) no município de Rio Grande da Serra. O projeto contempla a recomposição do aterro nas margens da Represa Billings. Estas intervenções estão orçadas em cerca de R$ 1 milhão. A contratação da empresa que executará as obras está prevista para este mês.

LOMBADAS NA RODOVIA

Desde que se concluiu a reforma da ponte sobre o rio Grande, na rodovia Antônio Adib Chammas – SP-122 – que liga Ribeirão Pires até Paranapiacaba, na altura do km 39, próximo à entrada da avenida Cido Franco, em Rio Grande da Serra, algumas lombadas, que foram instaladas durante a obra afim de reduzir a velocidade no trecho e dar mais segurança aos trabalhadores e veículo, foram esquecidas.

A obra, feita para reforçar, alargar e incluir uma passagem para pedestres na ponte, durou vários meses, causou grande transtorno para o trânsito local e vários acidentes, envolvendo veículos e as lombadas aconteceram. Por sorte não há notícia de vitimas, apenas prejuízos materiais.

A SP-122, recebe além do transito regional, também recebe o turista, que utiliza-se da rodovia para ir à Vila de Paranapiacaba.

Durante a noite, em época de neblina, e ainda com garoa, a sinalização existente no local das lombadas é praticamente ineficaz, obrigando o motorista a frear bruscamente e até entrar em alta velocidade na lombada. Em opinião geral, todos têm reclamações, quanto a existência desses tipos de redutores de velocidades em rodovias.

Fomos informados pelo DER – Departamento de Estradas de Rodagem, que o local é monitorado constantemente pelo DER e está devidamente sinalizado de acordo com as normas técnicas do departamento. E as lombadas implantadas no trecho, o órgão esclarece que os dispositivos serão retirados após conclusão das obras.

O DER reforça a importância da prudência do motorista nas estradas, do respeito à sinalização da via e limites de velocidade e atenção ao realizar ultrapassagens e conver

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: