Denúncia aponta que estrada na Rebizze foi aterrada e postes ficaram baixos

Seria crime ambiental e postes podem ficar mais baixos? Perguntam moradores

Depois de uma denúncia, dizendo que na avenida Flávio Humberto Rebizze, via de acesso ao bairro Oásis Paulista e à represa, em Rio Grande da Serra, os postes de energia elétrica e iluminação estariam enterrados, nos deslocamos até o local.

Lá, o que encontramos foi algo impressionante. Uma boa parte da estrada, havia subido de nível, aparentemente quase um metro acima, e também foi alargada, com aproximadamente quinze metros. Os postes, ficaram mais baixo, devido a sua base estar no nível antigo da rua.

De acordo com a denúncia, a estrada havia sido transformada em um ” bota fora”, com descarga de terra feito por caminhões e com o conhecimento da Prefeitura.

No local, conversamos com um morador, próximo, que nos confirmou que na época havia trânsito de caminhões na estrada e por diversas vezes viu maquinários, tratores, espalhando e terraplanando na estrada.

Para esclarecer o problema, entramos em contato com a CETESB, que enviou fiscais ao local e explicou que o trecho apontado não difere das imagens arquivadas anteriormente.

Informam também que a intervenção na estrada foi executada por maquinário visando a manutenção da estrada, que não está inserida em área de APP – Área de Proteção Permanente, por fazer parte do Sistema Cartográfico Metropolitano antes da Lei Federal 7511/86

Quanto à área de várzea, a mesma encontra-se há mais de 100 metros da cota de alagamento, o que portanto não configura crime ambiental.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: