Saúde de Rio Grande da Serra manda criança com Apendicite para casa com risco de morte

E para a mãe, nada pode mudar na Saúde da cidade, por achar o atual Prefeito poderoso demais para alguém fazer algo.

Por um milagre, o jovem K.A.M.S., de 15 anos, não morreu em virtude de possível erro médico na Saúde de Rio Grande da Serra, que confundiu apendicite com infecção urinária.

No início de junho, dia 15, o menor, com dores abdominais e febre, foi levado pelos pais à UBS Central de Rio Grande, onde foi atendido pela médica de plantão que solicitou um exame de Raio-X, mas, segundo a mãe, a médica, concluiu que o problema do menor seria prisão de ventre, solicitando que se fizesse o “constrangedor” procedimento de Lavagem Intestinal.

Após o procedimento, K.A.M.S. ficou em observação e posteriormente foi liberado, pela médica, e retornou para sua casa com uma receita em mãos de um remédio, o Norfloxacino, normalmente indicado para infecções urinárias.

O garoto, que trabalha em São Caetano do Sul, retomou suas atividades, visto que foi, segundo a mãe, dado alta e o atestado médico para que levasse ao emprego. Porém, durante uma semana, o menino de 15 anos, continuava apresentando febre, passando mal no serviço: “Ia passando mal no trem quase desmaiando”, disse K.A.M.S.

“no dias 14 e 16 fui com meu filho à UBS e pediram para ele fazer um exame de Raio X, depois passou uma receita de uma medicamento que sequer ele usou, mas me custou caro. No dia 23 retornei com ele À UBS, e novamente fizeram exame de Raio X, a médica disse que o estado dele era normal, devido ao constrangimento que meu filho passou.”, e continua, “retornamos para casa e ele continuou passando mal. No dia 24, domingo, não aguentamos ver o estado do menino e resolvemos levá-lo no Hospital São Lucas”, conta Marta Maria Rodrigues, mãe de K.A.M.S.

Depois disso, a mãe conta sobre o susto e a angústia que passou: “Chegamos no São Lucas a médica que examinou ele, já diagnosticou que ele estava com Apendicite. Eu ainda disse à ela que não poderia ser porque a médica de Rio Grande havia feito lavagem nele porque o problema era de intestino preso. Porém a medica do São Lucas disse que o problema era Apendicite e solicitou exames na mesma hora e constatou que a Apendicite estava estourada há vários dias e que havia contaminado os órgãos. Tinha pus por todo o abdômen.”, conta assustada.

De acordo com a mãe, com muita urgência, a médica solicitou vaga no Hospital Nardini, em Mauá, onde transferiram o menino as 4h40 da manhã.

“Nossa! Como este menino está vivo?”, teria dito o médico cirurgião do Hospital Nardini, que pela situação de K.A.M.S., dificilmente escaparia de uma infecção generalizada.

Depois de uma preparação com antibióticos, encaminharam o garoto para a cirurgia, porém, teria ficado 4 dias internado por conta da infecção: “O médico não entende como ele suportou tanto tempo com a infecção.”, disse

O estado do jovem K.A.M.S. ainda é impressionante, pois seu abdômen ainda tem inchaço e um buraco, impressionante, por onde vaza secreção da infecção.

Ainda indignada a mãe pegunta: “Como podem ter liberado uma criança para trabalhar, com febre alta? Quando o médico do São lucas mostrou a gravidade da situação, a gente enlouqueceu. Eu queria ir lá na UBS pegar a médica pelo pescoço! Fiquei com ódio daquela mulher. Foi um descaso!”, conta nervosa.

NÃO É A PRIMEIRA VEZ QUE A FAMÍLIA SOFRE COM A SAÚDE DE RIO GRANDE DA SERRA

Segundo Marta, ela quase perdeu a filha, de oito meses, por conta de problemas na mesma UBS Central, onde diagnosticaram gripe no bebê, e quando foi diagnosticado, em novo exame, também no hospital São Lucas, o problema era bem mais grave: Plaquetas baixa no sangue: “precisou internar ela e fazer todos os exames às pressas.”, conta, já desanimada, acreditando que nada irá mudar, por achar o atual Prefeito poderoso demais para alguém fazer algo.

«O que encontramos de ruim, aqui em Rio Grande da Serra, encontramos de bom fora daqui. No Nardini, o atendimento é muito bom. A Saúde de Rio Grande da Serra é uma porcaria, péssima. Nós não temos culpa dos médicos daqui receberem baixos salários e trabalharem revoltados. Temos direito à um serviço bem feito, respeito e dignidade. Não temos culpa dos prefeitos não respeitarem nosso dinheiro! Estamos esgotados. O povo aprendeu a receber favores em troca de voto e nada muda aqui. Como vamos lutar contra o Poder Público?»

OUTRO CASO JÁ ACONTECEU NA CIDADE

Em fevereiro de 2011, outro erro de diagnóstico, da Saúde de rio Grande da Serra, colocou em risco a vida de Aline, moradora da Pedreira, onde o médico diagnosticou como virose, um caso de Apendicite, indicando à ela remédios inadequados e apenas um soro.

Horas depois, Aline estava dando entrada no Nardini, porque ela mesma resolveu ir ao hospital São Lucas, que diagnosticou a gravidade do problema e a encaminhou para cirurgia em Mauá.

¨E se eu fosse para casa repousar, como queria esse médico? Eu estaria morta hoje.”, conta Aline.

Na época, em nota oficial, a Prefeitura disse estar em processo de transição para a gestão da FuABC – Fundação ABC, e em fase de avaliação dos profissionais médicos, para que fosse definido o quadro de profissionais, que fosse compatível a atender as necessidades dos munícipes de Rio Grande da Serra, e que, após a avaliação seria concluído o processo de transição e somente continuariam a prestar serviços os médicos que atendessem as exigências da Prefeitura.

Até o fechamento não obtivemos resposta da Prefeitura sobre o incidente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: